Chamada de trabalhos

TEMA:

Investigação artística da ‘projecção espacial’ e da ‘plasticidade corporal’ nos campos da dança e da pintura

“Estes corpos evidenciavam uma presença, uma ocupação espacial maior que a do seu corpo material, uma existência muito para além da sua realidade física. Aquilo que foi possível observar e sentir encontra-se claramente identificado no âmbito coreológico como projecção espacial. Preston-Dunlop define spatial projection ‘as a line or a curve, which continues beyond the body into the kinesphere or into the shared space.’ Mais do que o comummente referido stage space, estes corpos criavam entre si uma relação espacial, uma tensão espacial que os unia e tornava o seu corpo ainda maior.”
Fernando Crespo, “A ação de pausar”, in O Chiado da Dramaturgia e da Performance, p. 211

“C’est ainsi que, dans Philosophie du geste, j’ai émis l’hypothèse que toute création artistique, quele que soit son espèce, débutait dans un danser, devait le souffle de son inspiration et la cohérence ultérieure de son exécution à une plasticité corporelle première, à une proposition initiale de movement.”
Michel Guérin, L’espace plastique, p.74

“Wigman’s work also can be viewed as an assimilation of the major artistic innovations of her time (…). Her early years of training were spent with two great twentieth-century systematizers of movement: Emilie Jaques-Dalcroze (…) and Rudolf von Laban at the utopian community of Monte Verità in Ascona, Switzerland. She was a muse for the Expressionist painters Emil Nolde, Ernst Kirchner, Oskar Schlemmer and others.”
Mary Anne Santos Newhall, Mary Wigman, 2018

Um corpo que se agita no chão ou se ergue no ar, se desloca ou imobiliza no espaço, é a projecção espacial de uma massa-mancha expressiva, podendo pertencer simultaneamente aos domínios da dança e da pintura. Pouco importa se esse corpo se articula para mimetizar acções e exprimir emoções reconhecíveis, ou, por outro lado, se aspira a exteriorizar um fluxo não articulado de gestos, ritmos e formas por descodificar.

A quinta edição da revista RIACT vai ocupar-se das potencialidades da “projecção espacial” de um corpo que performatiza, tal como referido por Fernando Crespo, e da “plasticidade corporal” primeva, tal como aludida por Michel Guérin, num desejado paralelismo com manchas picturais que têm a propriedade plástica de se espacializar para além dos seus próprios limites, plenas de forças centrífugas e centrípetas, numa partilhada “proposição inicial de movimento”. Sendo assim, atendendo à pluralidade das práticas e dos discursos no âmbito da investigação em dança e em pintura, a Chamada de Trabalhos para a RIACT Nº5 vem propor as seguintes temáticas:

I — Investigação enraizada na prática pictural e coreográfica, de forma intermedial ou separada, das noções de espacialização; espaço plástico; espaço coreográfico; espaço pictural imersivo; espaço coreográfico imersivo; intercorporalidade; intermaterialidade; projecção espacial; plasticidade corporal; e outras noções afins.

II — Investigação sobre novas formas de intermedialidade entre dança e pintura, incluindo as possibilidades imersivas e digitais.

III — Diferenças e afinidades entre criação e investigação nos domínios da dança e da pintura, tratados em conjunto ou separadamente. Para tal, sugere-se a identificação de fontes especializadas da investigação em artes ou da investigação artística, nomeadamente Henk Slager, Michael Schwab, Henk Borgdorff, Danny Butt, James Elkins, Mika Hannula, Christopher Frayling, entre outros.

O coordenador da RIACT
José Quaresma

Datas importantes relativas
ao N.5 da RIACT

05/09/2022
Entrega de sumário da proposta com 2000 palavras (nesta fase podem ser incluídas até cinco imagens) > riact.artisticresearch2030@gmail.com
20/09/2022

Comunicado aos candidatos o resultado da revisão das propostas apresentadas.

20/10/2022

Realiza-se a entrega definitiva dos artigos (entre 5000 e 7500 palavras).

05/11/2022

Comunicado aos candidatos o resultado da revisão das propostas apresentadas.

23/11/2022

Lançado o novo número da revista no âmbito de um Ciclo Internacional de Conferências sobre Investigação Artística.

* A primeira fase do processo de revisão por pares é totalmente gratuita. Porém, se as propostas forem aceites, os candidatos pagam um valor simbólico de cinquenta (50) euros à FBAUL, a utilizar na tradução para a língua inglesa da revista RIACT, em secções tais como o Editorial, a Introdução, entre outros detalhes de produção.